Bien que podia llover, non?

Bolaño em visual chicano selbaje
Bolaño em visual chicano selbaje

Pra molhar esse agosto seco e sacal, mais um do mestre chileno, num livrim que a amigona Carola González trouxe de Barça:

Sangrento dia de chuva

Ah, sangrento dia de chuva,
que fazes na alma dos desamparados,
sangrento dia de vontade apenas entrevista:
detrás da cortina de juncos, no lodaçal,
com os dedos dos pés entorpecidos na dor
como um animal pequeno e trêmulo:
mas tu não és pequeno e seus tremores são de prazer,
dia revestido com as forças da vontade,
pasmado e fixo em um lodaçal que acaso não seja
deste mundo, descalço no meio do sonho que se move
desde nossos corações até nossas necessidades,
desde a ira até o desejo: cortina de juncos
que se abre e nos suja e nos abraça.

Roberto Bolaño, em Los perros románticos

Autor: rbressane

Writer, journalist, editor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s