Warm gun

“Continuei vivendo em desespero, mas com momentos de estranha felicidade que de vez em quando me vinham – continuam vindo – do rock and roll.”

Essa é de Vila-Matas em Paris não tem fim, um dos livros mais cheios de frases perfeitas que existem [ainda que nem todas do epigrafômano autor]. Já o tiozinho aí em cima é o John Hurt, um dos pais da matéria [valeo pelo link, Galera], ensinando como ser um homem na travessia do vale do desespero.

Autor: rbressane

Writer, journalist, editor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s